Páginas

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Glue Trip - Just Trippin (2013)



01 - Elbow Pain
02 - La Edad del Futuro
03 - Birds Singing Lies
04 - Lucid Dream
05 - Sophie

Links oficiais:
https://soundcloud.com/gluetrip
https://gluetrip.bandcamp.com/
https://twitter.com/GlueTrip

http://www.youtube.com/gluetrip

O Glue Trip é formado pela dupla paraibana Lucas Moura e Felipe Augusto e desde 2012 conquista corações e mentes com sua MPB-eletrônica-cantada-em-inglês.

Sob sintetizadores, teclados e efeitos, o duo produz uma ótima mistura etérea de samba, soul e funk.

Texto de André Cananéia.

(Foto: Alessandro Assunção Potter)

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Macumbia - Chuta Que É Macumbia (2014)



Banda de João Pessoa com influências latinas como cumbia, salsa, nacionais como brega, carimbó e do Reggae e do Ragga.


01 - Baila Mi Cumbia
02 - Milonga
03 - André
04 - Baia de La Traición
05 - Maria Tereza
06 - Never Will Be Heard
07 - Cidadela
08 - My Disorder

Links oficiais:
https://www.facebook.com/bandamacumbia

Para ouvir:
https://soundcloud.com/macumbia

http://tnb.art.br/rede/macumbia



(Foto: Rafael Passos)

sábado, 7 de junho de 2014

Caverna - Anticruz (2014)


(Link disponibilizado pela própria banda)

A banda Caverna (Patos/PB) acaba de lançar sua demo! Com dois integrantes, Sauron (Guitarra) e Vinícius (Bateria e Vocal), tocam Black Metal com influências de Hellhammer/Celtic Frost, Bathory, Venom, Darkthrone, Sarcófago, entre outras bandas do estilo. 

01. Suspiria
02. Espectros
03. Anticruz
04. A Queda
05. Alucarda

Links oficiais:



terça-feira, 6 de maio de 2014

Red Butcher - EP (2014)



1.Magnás 08:57
2.Demon troubadour 04:34
3.O-doom 06:35
4.Kith is dead 06:29
5.Cowboy vs fisherman 05:36
6.Yellow dog blues 05:07

Que o Brasil ganha cada vez mais bandas de stoner e doom, não é novidade. Entretanto, não são todas que apresentam a proposta do trio Red Butcher, de João Pessoa. Formado em 2009, o grupo mistura os gêneros anteriormente citados e ainda adiciona psicodelia e blues às criações, já apresentadas ao vivo em palcos do Festival Grito Rock, Festival Mundo e Centro Cultural DoSol.

As mãos pesadas de Bruno Alves (baixo), Magno Fontolan (bateria) e Neto Londres (guitarra) registraram um EP homônimo, de estreia e instrumental – captado pela Mardito Discos, mixado pelo baixista do trio e masterizado por Pepeu Guzman – que nesta terça-feira, 1º de Abril, é lançado oficialmente e liberado para audição gratuita.

O trabalho, que traz atmosfera densa e é repleto de groove, delays e feeling, conta com 6 faixas e pode ser conferido logo abaixo na íntegra.


Página oficial no facebook:

Para ouvir online:





sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Paulo Ró e Fábio Kerouac - Sob o Sol (2014)




Músicas:

1. En Las Calles
2. Tina Disse
3. Cantor do Tempo
4. Só
5. Insônia
6. Versos Colhidos
7. Sob o Sol
8. Missão do Poeta

Ficha Técnica:
Paulo Ró: Voz / Violão / Viola de 10 cordas / Cavaquinho / Percussão
Tina Nascimento: Voz
Helinho Medeiros: Teclados / Escaleta
Marcelo Macedo: Guitarra / violão de aço
Jorge Negão: Contrabaixo
--
Arranjos: Paulo Ró
Gravado no Peixe Boi Estúdio entre Janeiro e Junho de 2008
Mixado por Marcelo Macedo
Capa: Tina Nascimento e Paulo Ró
Produzido por: Fábio Kerouac, Marcelo Macedo e Tina Nascimento
Agradecimentos a: Junko Iwamoto, Helinho Medeiros, Marcelo Macedo, Jorge Negão, Andreas Uloth

Contato:
paulorotina@gmail.com



Musa Junkie - Done (2014)




Conhecida no início dos anos 90 como Musa Junkie Suicida, a banda começou ainda como um duo criado por Edliano e José De Jesus, que se conheciam de tempos de escola. Em pouco tempo se juntou a eles Beto (hoje no Rotten Flies). Era 1990, época, em que o hardcore predominava na cidade de João Pessoa. Isso até a banda surgir com seu som, misturando punk e indie rock com muito punch. Entre 2006 a 2011 a banda passou por um hiato, devido Edliano passar uma temporada fora do Brasil, antes disso, participaram de coletâneas e lançaram 2 EP´s (Bohemia e Soul Do Tempo Antigo). Já em 2011 Edliano volta ao Brasil,e o Musa Junkie retoma suas atividades como um trio, com ele, Edy Gonzaga e Nildo Gonzalez (que entrou no lugar de Beto, desde o segundo EP).Desde então a banda vem se apresentando em festivais e apresentações em João Pessoa.

Ficha Técnica: 
DONE JOHNNY MORNING NOBODY IS WAITING 4 ME MESS AROUND SUNDAY* Space Cookie Invaders (vinheta) OUR TOWN PA PA PA VIVENDO NA CIDADE - PDM (Bônus Track) **

Produzido por Pedro Paulo Barros e Musa Junkie Gravado, mixado e masterizado no ‘Estúdio NO 10’ entre Janeiro e Maio de 2013 por Pedro Paulo Barros e Pedro Regada, exceto ‘VIVENDO NA CIDADE’(**), gravada em outubro de 2012.
Todas as composições de Edliano Silva, exceto (*) ‘SUNDAY’ por Edy Gonzaga e (**) ‘VIVENDO NA CIDADE por Alisson Lima e Pastel De Miolos.
Participações: ALANA FRANCO (Old Men School) – Voz em ‘SUNDAY’, vocal em ‘OUR TOWN’ e ‘NOBODY IS WAITING 4 ME’, ADORE DINIZ: VOCAL na parte acústica de SUNDAY JOÃO HENRIQUE – Trompete em ‘MORNING’ e ‘MESS AROUND’, PEDRO PAULO BARROS – Vocal em ‘DONE’, ‘JOHNNY’, ‘MORNING’, ‘NOBODY IS WAITING 4 ME’, ‘MESS AROUND’, ‘OUR TOWN’ e ‘PA PA PA’; ILSOM BARROS (Zefiirna Bomba): VOCAL e VIOLA NOISE em VIVENDO NA CIDADE, SOFIA GIACRA - Voz em 'NOBODY IS WAITING 4 ME';
Capa: Design & Ilustração - KIN NOISE
Agradecimentos a todos os familiares, parentes e amigos que colaboraram de alguma forma e conviveram com o MUSA JUNKIE desde sempre.

Musa Junkie: 
Edliano Silva – Baixo e voz
Edy Gonzaga – Guitarra e vocal
Nildo Gonzalez – Bateria e vocal

CONTATOS:
Facebook:  https://www.facebook.com/pages/Musa-Junkie/145797405508469
Myspace:  http://www.myspace.com/musajunkie
email: edliano@hotmail.com ,   edygn@hotmail.com 
Tel: (83) 8796 4680 / (83) 8889 1019
Entrevista pro BOX ALTERNATIVO:  http://boxalternativo.blogspot.com.br/2013/06/musa-junkie.html

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Lucas Dourado - Motor Misterioso (2013)


DOWNLOAD:


Com influências da música mineira e do swing da música baiana, o cantor e compositorLucas Dourado chega à cena musical com seu registro de estreia. Disponível para download gratuito em www.olucasdourado.com.br, Motor Misterioso traz nove faixas autorais. Foram quase dois anos em estúdio em um processo de gravação que começou de forma independente por meio de recursos próprios.

O apoio do Fundo Municipal de Cultura, por meio da Prefeitura de João Pessoa, em 2012, possibilitou a finalização e prensagem de mil cópias do CD, que serão brevemente comercializados pelo preço de R$ 10. Informações serão divulgados em breve.
Foto: Rafael Passos.

O seu show autoral já foi realizado três vezes em João Pessoa, porém sem a sonoridade apresentada no disco, que contou com a produção musical de Haley Guimarães, integrante da banda Burro Morto e um dos responsáveis pelo Estúdio Mutuca, onde as composições foram gravadas. Para Lucas, a participação de Haley Guimarães foi fundamental para a sonoridade que o álbum adquiriu, desde os arranjos e timbres até a indicação da masterização, feita no Estúdio El Rocha em São Paulo. Além do próprio compositor, na voz, guitarra e violão; e do produtor musical, no teclado, sintetizador e guitarra; Motor Misterioso conta com Ruy José, na bateria; Chico Limeira, no contrabaixo, guitarra e cavaquinho; Helinho Medeiros, no teclado, sintetizador e acordeon; Uirá Garcia, na guitarra; Macaxeira Acioli e Pablo Ramires, na percussão; e Polly Barros, Érica Maria e Gabriel Pereira, nos vocais.

Baiano, da cidade de Irecê, é em João Pessoa que Lucas Dourado trilha sua trajetória artística há sete anos. Residente na capital paraibana desde 2000, o projeto inicial da mudança de Estado era a graduação em Engenharia Mecânica, o que acabou se configurando em um diploma em Psicologia. Influenciado pela coleção de discos da sua casa e pelo violão do seu pai, aos treze anos de idade, Lucas descobriu o ritmo batucando com as mãos. Três anos depois, integrava uma banda de axé music, seu grupo de estreia na musica. Os primeiros acordes dissonantes surgiram e, com isso, a aproximação com a MPB. Até os 24 anos, o músico achou que não iria compor, porém, a partir do encontro com o improviso, Lucas percebeu que podia fazer música e, entre 2006 e 2007, compôs quinze canções, dentre as quais, seis delas estão em Motor Misterioso.

A Saga abre o álbum e foi a primeira canção do músico, que começou a compor por volta dos 25 anos. Lucas comenta que a letra saiu com naturalidade enquanto fazia a harmonia e a melodia, e que a canção já veio carregada do imaginário sertanejo da sua infância. Ainda de acordo com o compositor, quando estava escolhendo o nome do álbum, Motor Misterioso foi a música que o representou naquele momento. A música título do álbum aponta para o que ele chama de aprisionamento simbólico que a maioria das pessoas vem sofrendo no mundo contemporâneo. “Estamos em um período histórico em que tudo está sendo revisto, porém a estrutura maior, a máquina, esse motor misterioso está a pleno vapor e, quem move suas engrenagens, somos nós, o povo”, explicou o músico.

            Outras canções de destaque no CD são Barbante PrateadoTemparada, e Saravá e Quengo já conhecidas do público nas versões d’ A Troça Harmônica, grupo pessoense do qual Lucas Dourado é integrante. Mesmo tendo diversas influências musicais para a composição do álbum, o musico aponta que muito da inspiração veio das leituras realizadas sobre misticismo. Motor Misterioso reflete a visão de mundo de Lucas Dourado, o seu pensamento não localizado, o seu questionamento sobre os contornos que as relações sociais adquirem, o seu olhar de ser humano sem fronteiras. 





terça-feira, 24 de setembro de 2013

Livardo Alves - Malandro do Morro (2002)



Livardo Alves da Costa nasceu no dia 21 de setembro de 1935, em João Pessoa, no bairro de Jaguaribe. Em 1967 mudou-se para o bairro da Torre, para a rua José Severino Massa Espinelli, antiga rua Padre Pinto. Filho de Antônio Alves Cassiano e Júlia Alves da Costa teve quatro irmãos: Luzardo Alves, Leonardo Alves, Maria da Penha e Luis Carlos. Casado com Maria Nita Vieira Alves teve quatro filhos.
Nos anos 50 entrou para o Jornal "A União", no governo de José Américo de Almeida, começando pela oficina até chegar a revisão e à redação. Em 1959, no dia 1º de julho, foi contratado pela Rádio Tabajara para participar do 'cast' de cantores daquela emissora, onde chegou a ser também locutor e repórter, trabalhando no departamento de rádio- jornalismo.
Destaque no cenário da música e conhecido nacional e internacionalmente pela "Marcha da Cueca", Livardo Alves compôs forrós, sambas, baiões, maracatus, cocos, repentes e xaxados. Vencedor de dezenas de festivais na Paraíba e em outros Estados, considerava como mais significativo o 'Composição de Ouro ABC', primeiro realizado em nível nacional na Paraíba, onde foi vencedor com o samba bossanovista "Pela Primeira Vez". Primeira de muitas.
Estátua de Livardo Alves na praça Vidal de Negreiros.
Preocupado com os problemas do Brasil, lapidou com o poeta pernambucano Orlando Tejo a música "Meu País", gravada por Zé Ramalho e Flávio José. Também compôs o Hino do Botafogo da Paraíba, da AABE e de outros clubes da cidade. Em parceria com Parrá, gravou "O Sol", seu primeiro CD, em 1999. Em 2002 lançou o disco duplo "Malandro do Morro", o último trabalho reunindo as principais canções de um vasto repertório: "Brasil Moleque", "Eu Dou Mil", "Merda Pra Vocês", "Boca do Mundo", "Xote Elétrico", "O Canto de Tambiá", "Faroeste em Jaguaribe", "Doido da Paraíba", "Nêga da Paraíba", "Forró Funfá", "Doces Ervas", entre outras, em rebuscados arranjos do maestro Chiquito e Joca do Acordeon, atraindo músicos locais, em parcerias com compositores como Vital Farias, Junior Targino, C. Mendes, Orlando Tejo, Walter Santos, Sardinha, Carlos Mago da Viola e Rubinho da Paraíba.
Livardo Alves ainda musicou peças teatrais para grupos profissionais do Rio de Janeiro, entre elas: "O Auto da Compadecida", de Ariano Suassuna; "Acima de Bem Querer", de Luiz Marinho; "Viva Cordão Encarnado/ A chegada de Lampião no Inferno", ambas formando um só espetáculo, com direção de Luiz Mendonça; e "A Cara do Povo do Jeito Que Ela É", de Paulo Pontes. Falecido em 14 de fevereiro de 2002, Livardo Alves deixou a mulher, filhos, dúzias de canções, centenas de amigos e milhares de fãs.