Páginas

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Jairo Aguiar - Canta para Os Namorados (1962)



01. Twist do amor
02. Cerejeira do Japão
03. Última Lição
04. Coração em Bibope
05. Porque tu Ris
06. Um Sonho Pra depois
07. Eternamente Teu
08. A Tua Ausencia me Alucina
09. Eu e Você
10. Cabo Canaveral
11. Magia dos teus Olhos
12. Judeu Errante

DOWNLOAD 

Jairo Alves de Souza Aguiar, nascido em João Pessoa no dia 11/09/1937, iniciou a carreira na década de 1950, cantando na Rádio Clube Pernambuco. Em 1954, participou do concurso "Primeiro Campeonato de Cantores Novos", promovido pela Rádio Nacional e apresentado por César de Alencar. Ficou em primeiro lugar, cantando músicas do repertório de Jorge Goulart e Carlos Galhardo. Assinou um contrato de dois anos com a Rádio Nacional. Participou dos programas de auditório e era presença constante nos programas apresentados por Paulo Gracindo, que foi um de seus grandes incentivadores. Na contracapa de um disco do cantor, escreveu: "Jóia não sai de moda nunca". 

Em 1956, foi contratado pela gravadora Copacabana onde estreou com sucesso cantando o samba "Uma noite no Rio", de sua autoria em parceria com Aôr Ribeiro e Mário Mascarenhas. O outro lado do disco trazia a valsa "Sussu", de Joubert de Carvalho. Em 1957 fez sucesso com as gravações do fox balada "Caprichos do amor", parceria com Mário Mascarenhas e da guarânia "Checamba-me", de J. Alea, Jocelino e Nelinho. Em 1958 gravou de sua autoria e Benil Santos o samba "Devoção" e de Assis Valente o samba "Lamento" e da dupla Raul Sampaio e Benil Santos o bolero "Noites cruéis". O samba "Lamento", lhe foi entregue por Assis Valente e foi a última música composta por ele, que iria suicidar-se naquele mesmo ano. No entanto, a gravação não alcançou o sucesso esperado. No ano seguinte registrou o beguine "Veneno", de Poly e Henrique Lobo, a guarânia "Amor de índia", de Augusto Mesquita e Muraro e o bolero "Triste recordação", de Rossini Pacheco, entre outras composições. 

Em 1960 gravou de Blecaute a marcha lamento "Lamento do triste adeus" e de Nássara e Jair Amorim o bolero "Minha estrela é você". No ano seguinte registrou o bolero "O despertar da montanha", de Eduardo Souto com letra de Francisco Pimentel. No outro lado do disco, a mesma música foi interpretada pela Orquestra Copacabana. Em 1962, tentando acompanhar os novos rítmos musicais gravou o chachacha "O homem do bombô", de Getúlio Macedo.

Pela gravadora Copacabana lançou 20 discos de 78 rpms, 10 compactos e 12 LPs, perfazendo quase 200 músicas, muitas composições de sua autoria. Seus maiores sucessos foram: "Enxugue as lágrimas", "Serenata de Schubert", "Ainda espero por ti" . Atuou no Teatro de Revista e também em filmes produzidos por Carlos Imperial. Na década de 1960 excursionou pela Argentina e o Uruguai. Ao retornar ao Brasil, passou a cantar em cidades do Norte e Nordeste do país. Voltou ao disco em 1990, lançando "Emoção maior", pela somarj. Em 2001, lançou o CD "Jairo Aguiar reconquista sucessos".




2 comentários:

  1. Caro Amigos,

    Estamos fazendo uma amostra cultural que irá ocorrer no Colégio Anglo Líder em São Lourenço da Mata-PE.
    Essa amostrar tem como tema: As culturas dos Estados Nordestino.

    Nossa sala ficou responsável pelo Tema: A cultura Paraibana.

    A sala foi dividida em sub-grupos e o tema também.

    Estamos pesquisando a cerca de uma semana e ainda não conseguimos nada sobre a musica paraibana, nós que fazemos parte do Colégio Anglo Líder, Queríamos um breve relatório sobre a tradição musical da Paraíba.

    Atenciosamente,

    Danilo Miranda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. email: danilogomesmiranda55@gmail.com

      Excluir